Ypiranga 1(2)x(4)1 Grêmio–O goleador, um zagueiro de verdade e uma Kaiser quente

 

Coitado do Renato, assim não dá pra ser feliz (Foto: Mauro Vieira/clicRBS)

Se Borges não tivesse perdido uns 54 gols contra o Santa Cruz, o jogo de hoje teria sido contra o São Luiz, e o que é mais importante, teria sido no Monumental. Se o Borges não tivesse jogado tão pouco hoje, aliás, faz bastante tempo que vem jogando pouco, a partida não precisaria ter ido para a decisão por pênaltis.

Borges não é o único responsável pelos recentes insucessos do Imortal. Claro que não. Hoje, Gabriel, Rochemback, Rodolfo, Lúcio, enfim, foram muitos os que tiveram atuações abaixo do desejável. Borges, porém, se destaca entre eles.

Se Jonas ainda estivesse no Grêmio e atuando no lugar de Borges, não tenho dúvida de que teríamos vencido o grupo 2 da Libertadores e estaríamos ganhando facilmente dos times que enfrentamos no Gauchão. Borges precisa começar a jogar, ou então, o Gauchão, que parecia tão fácil, vai acabar dependendo de imortalidade e heroísmo. Da Libertadores nem vou falar, pois, à medida que as rodadas passam o sonho parece ficar mais distante.

Não sei o que há com Renato. Será que andou tomando cerveja de segunda qualidade? Será que ele resolveu tomar uma Kaiser? Renato está diferente. As substituições que fez nos últimos jogos parecem coisa de quem está de ressaca. Cerveja, Renato, tem que estar gelada, e não pode, em hipótese alguma, ser de marca ruim.

Trabalho sério e alegria de viver são requisitos imprescindíveis para quem quer ser campeão. Renato precisa ser feliz mas não consegue. O quê lhe falta? O Rio? A praia? Talvez lhe faltem um zagueiro de verdade e um centroavante goleador. É difícil, para um treinador, ser feliz sem essas duas companhias.

Jonas se foi, e pela porta dos fundos. Faz uma falta desgraçada. Pela ausência do Mestre, Renato já chutou muita garrafa d’água e leiva de grama daqueles retângulos (área técnica) onde prendem os treinadores durante as partidas. Não dá pra ser feliz. Não dá pra ser feliz, também, com uma dupla de zaga formada por Rafael Marques e Rodolfo. Eu sei que sou minoria, que grande parte da nação gremista aprovou a saída de Paulão, mas é que eles não lembram (ou talvez nem tenham visto) do Grêmio ser campeão da América com Baideck, uma vez, e Rivarola, uma outra. Zagueiro de verdade não é bonito, não joga bonito. Zagueiro de verdade até pode ter conta no Twitter, mas se tiver, ou não tem tempo pra twitar ou escreve tudo errado. Zagueiro de verdade joga feio, olha feio e escreve feio. Zagueiro de verdade não mata ninguém, mas todo o atacante adversário tem que acreditar que ele seria capaz de fazê-lo. Zagueiro de verdade cabeceia também na própria área e não apenas na do adversário.

Ter uma zaga como a que Renato tem, ter um centroavante como o que Renato tem tido nos últimos jogos não vai fazer ninguém feliz. É como se, ao invés de tomar uma cerveja de verdade, o sujeito tomasse uma Kaiser, e ainda por cima quente.

Anúncios

Uma opinião sobre “Ypiranga 1(2)x(4)1 Grêmio–O goleador, um zagueiro de verdade e uma Kaiser quente”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s