Corinthians, o legítimo Campeão Brasileiro 2005

Campeonato Brasileiro de 2005, cansei desta mentira

Façamos, pois, um exercício de simulação. Agora, cada um de nós é um Márcio Resende e estamos na ensolarada tarde de domingo em que Tinga foi visivelmente derrubado na área do Corinthians. Só pra que não digam que somos gremistas demais e estamos tentando prejudicar o time do coração dos ‘especialistas isentos’ (os mais isentos do Brasil, segundo a avaliação deles mesmos) nós vamos marcar o pênalti. Não sei quem vai bater – não interessa –, mas o gol vai ser marcado.

Goooolll!!

Por Alves Rodrigues

Corinthians, o legítimo Campeão Brasileiro 2005
Corinthians, o legítimo Campeão Brasileiro 2005

Quem de nós já não ouviu dizerem que uma mentira repetida incessantemente pode acabar se tornando uma verdade? A direita alega ser essa uma estratégia da esquerda, que, por sua vez, acusa a direita de ser a usuária desse repugnante expediente. Infelizmente, os dois lados cultivam essa prática.

Mentir, mentir, mentir até que o tempo faça com que as pessoas, de tanto ouvirem a mentira repetida, passem a acreditar que ela é uma incontestável verdade é muito comum na mídia hegemônica brasileira – e creio que nas de outros países também. Não é diferente na mídia esportiva.

Muito se tem insistido, e até hoje ainda se repete, que o resultado do Campeonato Brasileiro de 2005 foi ‘roubado’. Será que foi mesmo? É verdade que o Corinthians teve anulados os resultados de dois jogos seus em que havia perdido para Santos e São Paulo, mas não é menos verdade que a impossibilidade de garantir a lisura do resultado de uma partida de futebol é um dos raros casos previstos passíveis de anulação de um jogo. Ora, se o próprio árbitro, Edilson Pereira de Carvalho, confessou ter recebido vantagem financeira para ‘garantir’ que o Corinthians não venceria nenhuma daquelas partidas, como poderia a CBF garantir que a derrota não fora provocada pela arbitragem? Não houve, portanto, apesar do enorme benefício aparente ao time mais popular de São Paulo e um dos mais populares do Brasil, nenhum absurdo na determinação na anulação daquelas partidas que, novamente disputadas, renderam quatro pontos ao Timão. Pontos que fizeram toda diferença ao final do campeonato, isso também é verdade. Portanto, mentem aqueles que dizem que a anulação de tais partidas se deu sem motivo justo e visava apenas beneficiar o Corinthians. Isso não é verdade.

Mas essa, porém, não é a mais importante e insistentemente repetida mentira que estamos a ouvir desde o longínquo 2005. A pior de todas é aquela em que eles afirmam que o time gaúcho preferido pela maioria dos ‘especialistas isentos’ da mídia só deixou de ser campeão porque Márcio Resende, árbitro da partida Corinthians 1×1 ninguemnacional, na penúltima rodada do campeonato, deixou de marcar pênalti sofrido por Tinga na segunda etapa. Isso é verdade. Foi mesmo pênalti e o juiz não marcou. Mas será que foi por isso mesmo que o time gaúcho acabou como vice-campeão naquele ano? Será que todos os outro pontos perdidos, entre empates(9) e derrotas(10), não tiveram nenhuma influência no resultado final da competição? Será que a derrota, na última rodada, para o já rebaixado Coritiba, quando havia ainda uma remota possibilidade de salvar o título, não teve nenhuma importância? Será que ser goleado (3 a 0) pelo Paraná, depois de já ter até comprado o mando do jogo, também não foi um dos motivos para o fracasso vermelho? Será que nada disso deve ser considerado?

Pois então está bem, façamos a vontade dos senhores ‘isentos’ que opinam diariamente na mídia esportiva gaudéria e desconsideremos todos estes acontecimentos, fiquemos apenas com aquele que ele dizem ser o mais importante, o definitivo, enfim, o motivo pelo qual o time deles deixou de ser campeão: o empate em São Paulo e o pênalti não marcado.

Façamos, pois, um exercício de simulação. Agora, cada um de nós é um Márcio Resende e estamos na ensolarada tarde de domingo em que Tinga foi visivelmente derrubado na área do Corinthians. Só pra que não digam que somos gremistas demais e estamos tentando prejudicar o time do coração dos ‘especialistas isentos’ (os mais isentos do Brasil, segundo a avaliação deles mesmos) nós vamos marcar o pênalti. Não sei quem vai bater – não interessa –, mas o gol vai ser marcado.

Goooolll!!

O time da mídia vence o Corinthians por 2 a 1 e… o que acontece?

A classificação final do Campeonato Brasileiro de 2005 ficou assim (quer conferir, clica aqui):

Com 81 pontos, 24 vitórias e saldo 28, o Corinthians foi o campeão do ano. O time que ficou na segunda colocação fez 78 pontos, 23 vitórias e saldo 23. Fim da história.

Nem na nossa simulação o time gaúcho conseguiria o título, pois mesmo que tivesse vencido o Corinthians, ambos chegariam ao final empatados com 80 pontos e 24 vitórias, porém os paulistas ainda levariam grande vantagem no saldo de gols.

Mesmo que Márcio Resende houvesse assinalado o pênalti, mesmo que o pênalti houvesse sido transformado em gol e o Corinthians tivesse sido derrotado naquela tarde, ainda assim o Timão seria o campeão brasileiro de 2005. O legítimo campeão.

Então, senhores ‘isentos’ do Sul do Brasil, parem de ficar repetindo essa grande mentira. Isso já tá enchendo o saco. Foi por causa do pênalti não marcado naquela tarde que o clube da beira do rio perdeu a chance de ganhar aquela partida, mas não foi por isso que ele perdeu o campeonato. Isso é mentira.

Fim da história!!

Anúncios

2 opiniões sobre “Campeonato Brasileiro de 2005, cansei desta mentira”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s