Flamengo 0x1 Grêmio – Alguém lá em cima parece gostar muito de nós

(Foto: Buda Mendes - Terra)
(Foto: Buda Mendes – Terra)

Há certos momentos na vida em que nenhuma ideia nos parece melhor do que fugir, sumir, simplesmente esconder-nos, desaparecer totalmente. Esses momentos, no entanto, são os que mais precisamos lutar. Assim é na vida, assim é, também, no futebol.

Por razões que meu raciocínio não alcança e que outros melhores que eu não conseguem me explicar, o Grêmio mergulhou numa crise que dura já mais de uma década. Brigas internas, choques de vaidades, ataques aos cofres do clube, enfim, são muitas as causas da crise, ou as teorias que tentam explicá-la. 

Essa foi uma semana muito difícil pra mim. Na quarta-feira à tarde eu tentava imaginar o que se passava na cabeça do presidente Koff no momento em que adentrava a sala do STJD. Naquele momento ele já não era mais o velho Koff, o presidente que descobriu a América e conquistou mundo, naquele momento, para os auditores e para o resto do mundo, ele era apenas o presidente daquele clube racista lá do Sul.

Eu não tenho certeza se, por eu ser gremista, tenho mania de perseguição, ou se sofro, de fato, perseguição sistemática em razão de ser gremista.

Sei lá, não sei mais nada. A condição de clube mais punido do Brasil, adquirida pelo Grêmio, deve ser culpa do Grêmio. Ou será culpa do Brasil?

A gente deve ter algo errado. Alguma coisa nos torna diferentes. 

Eu não faço ideia do que seja essa ‘coisa’, mas eu adoro ser diferente.

Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense, um clube diferente. Eu gosto.

Muita gente falou muita bobagem nos últimos dias. (Eu inclusive). Em meio século de vida, não tinha ouvido, como ouvi nos últimos dez dias, tantas vezes a palavra racista. Quase todo mundo achou muito legal acusar o Grêmio e os gremistas de coisas que na verdade não somos, de nos imputar defeitos que não temos. Até o auditorzinho aquele, ele sim racista, se achou no direito de falar mal da gente. O Grêmio foi usado, durante mais de uma semana, por uma elite branca, que domina a mídia e que detém todos os cargos decisórios do país. Essa gente precisava, e muito, de um cala-boca.

Vencer o Flamengo, o clube de maior torcida do mundo, lá dentro do Maracanã, o estádio mais famoso do mundo, deve ser suficiente para calar algumas dessas bocas mal intencionadas.

Eu vejo gente falsa. Com que frequência? O tempo todo. 

E todo tempo essa falsidade, que favorece uns em prejuízo de outros, se volta contra o Tricolor mais odiado do Brasil. Batem, perseguem, difamam, injuriam. Por vezes me parecem que estão tentando matar nosso clube. Pobres idiotas, não percebem que é inútil tentar matar um imortal?

Um a zero. No último minuto de jogo. Só pra mostrar que o Grêmio é mesmo Imortal, e que, não importa o quanto o mundo inteiro nos odeie, alguém lá em cima parece gostar muito de nós.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s