Arquivo da tag: Palmeiras

Vai dar tudo certo

Confio em Ti, Senhor. E no Roger Machado também.

palxgre190915

Se tudo der certo, a gente vai acabar ganhando do Palmeiras hoje lá no Pacaembu.

Mas tem que dar tudo certo mesmo.

Por exemplo: o Tiago Machowski não pode dar nenhum daqueles seus voos tão espetaculares quanto inúteis e que, em geral, resultam em gol do adversário. Se o William Schuster for mesmo escalado, então terá que de fato jogar futebol (e ele tem menos de duas horas pra aprender).

Sei lá, ainda assim é capaz de dar tudo certo hoje.

O Palmeiras vem de uma goleada sobre o Fluminense. Deve estar embalado e motivado. Ou estaria o Porco de salto-alto?

Não pensava em ver Bressan de volta ao Grêmio ainda em 2015. Mas é ele que vai estar em São Paulo. Ele, não Geromel. Mais um motivo para desconfiar de que talvez nem tudo dê certo.

Um monte de desfalques.

Tudo bem, contra o Corinthians também o Imortal estava cheio de defecções. Mas no final deu tudo certo.

Quer dizer, quase tudo.

A gente tava mesmo fazendo o jogo perfeito que Roger planejara, até que Thyerre e Tiago resolveram falhar e deixaram que a vitória nos escapasse.

Será que o Schuster vai mesmo jogar?

Meu bom Deus, não o permita.

Mas se o Senhor permitir, então dá uma luz pra ele, faz com que ele se torne algo diferente daquilo que tem sido desde que chegou ao Grêmio. Faz com que ele se torne algo mais parecido com um jogador de futebol profissional.

Confio em Ti, Senhor.

Ah, e no Roger Machado também.

Acho que vai dar tudo certo.

Anúncios

A ficha do jogo: Palmeiras 0x0 Grêmio–06/ago/2011

 

Palmeiras 0x0 Grêmio

Palmeiras: Marcos; Cicinho, Maurício Ramos, Henrique e Gerley; Márcio Araújo, Marcos Assunção, Patrik (Vinícius) e Valdívia; Maikon Leite (Dinei) e Kleber. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Grêmio: Victor; Adilson, Vilson, Rafael Marques e Bruno Collaço; Gilberto Silva, Fábio Rochemback; Leandro (Miralles), Douglas (Marquinhos) e Lúcio (Escudero); André Lima. Técnico: Celso Roth.

Cartões amarelos: Marcos Assunção, Gerley, Henrique, Valdívia, do Palmeiras; Vilson, Douglas, Rafael Marques, do Grêmio.

Local: Estádio do Canindé  – Data: Sábado, 06 de agosto de 2011, às 18:30 hs.

Público: 15.762 pagantes – Renda: R$ 422.028,00.

Árbitro: Ricardo Marques (MG) – Auxiliares: Guilherme Dias Camilo (MG) e Helberth Costa Andrade (MG).

Avaí 0x3 Grêmio – Menos mal

Ao fim e ao cabo o último parágrafo do post do dia dois de setembro acabou sendo meio que confirmado nas últimas atuações do Imortal longe do Rio Grande do Sul.

Era de se prever, ou ao menos de se esperar, que o Imortal, apesar da enorme falta de capacidade de presidir demonstrada – e até assumida – por seu presidente, Duda ‘pinta de playboy’ Kroeff, estivesse chegando, pela estrela vencedora de seu treinador Renato Portaluppi e por sua própria grandeza, ao momento em que iria começar a vencer jogos fora de casa. É verdade que o Grêmio não chegou a vencer o Botafogo, apenas empatou, mas a maneira como conseguiu chegar ao empate se assemelhou muito a uma vitória. Saindo de dois a zero contra e conseguindo chegar a um dois a dois, e com um homem a menos, o Grêmio arrancou, lá no Engenhão, um empate que teve o efeito moral e psicológico de uma vitória, de uma grande vitória, quase uma façanha. Depois disto, ganhar do Corinthians em São Paulo e golear, ontem, o Avaí em Floripa foi apenas uma questão de autoconfiança. O Grêmio de Portaluppi acredita em si mesmo, ignora o fator local e não se deixa abater pela aura derrotista de seu presidente. O Grêmio de Portaluppi está no caminho certo… ou quase. Afinal, ainda falta readiquirir a força que demonstrava ter na temporada passada. Caso readiquira essa força, aí sim, estaremos, como acredita Renato, disputando vaga à Libertadores 2011.

Nada mal. Excelente recuperação para um time que até algumas rodadas – eu mesmo afirmava – deveria se dar por satisfeito caso não fosse rebaixado.

Essa mudança tão radical não foi, porém, fato do acaso. Renato tem grande responsabilidade nisto. A substituição do chatíssimo Meira por Alberto Guerra tem também, eu creio, bastante peso nisso.

Porém, a maior de todas as mudanças se chama Douglas. Como escrevi, neste mesmo post do dia dois, faltava a Douglas realizar uma sequência de boas atuações, as boas atuações de nosso armador haviam sido muito esparsas, esporádicas. Douglas, após uma boa partida, jogava muitas partidas apenas regulares alternadas com outras até mesmo bem ruins. Renato falou sobre Douglas aos torcedores, disse o que pretendia para ele e o que esperava que ele fizesse dentro de campo. Mais do que isso, Renato deve ter falado de Douglas para o próprio Douglas. Craque com craque se entende. Douglas entendeu – e atendeu – as expectativas do treinador. Douglas está jogando bem uma atrás da outra, voltou a jogar muito na noite de ontem e o resultado é esse que vemos: o Tricolor de Portaluppi é bem diferente do que vinha sendo até alguns dias. O Imortal não está apenas pronto para vencer fora de casa, ele agora está vencendo mesmo.

Infelizmente o caso de Souza permanece inalterado. Souza, que nunca joga bem, continua o mesmo: uma decepção.

Pena foi o tropeço diante do Palmeiras. Pena mesmo – e bem no dia do aniversário. Mas isso não deve nos desmotivar, o Grêmio do returno tem se mostrado imbatível. Dentro ou fora do Estádio Olímpico, o Grêmio de Portaluppi, neste segundo turno, tem sido imbatível para todos os adversários. Todos menos um: o grande Felipão, mestre dos mestres.

Menos mal que foi assim.